Produção textual: Administração de Recursos Humanos (Parte 1)

laptop_2

A partir de hoje, iremos publicar uma série de postagens em quatro etapas com artigos escritos por alunos do Técnico em Administração. As partes 1 e 2 são produções de alunos que se formaram no último semestre e as partes 3 e 4 são de alunos que estão cursando  agora o último semestre do curso.

Os artigos foram redigidos com orientação da  professora Paloma Cardoso, que ministra a disciplina de Administração de Recursos Humanos.

Confira abaixo os textos dos alunos e acompanhe as próximas postagens!

Seus colaboradores estão satisfeitos?

A satisfação dos colaboradores influencia diretamente no clima organizacional das empresas, satisfação esta que incluem ambiente, higiene, segurança, gestão e cultura. Clima organizacional nada mais é que o ambiente interno existente entre as pessoas e a organização.
As empresas necessitam diretamente das pessoas para o seu desenvolvimento e condução de suas ações estratégicas. Pois o clima organizacional é considerado como o elo de ligação entre o nível individual e o nível organizacional.
Por isso a pesquisa de clima organizacional é uma ferramenta objetiva com foco em resultado e maior produtividade, sendo aplicada através de um questionário.
Enfim, as empresas devem estar atentas ao clima organização sendo implantada como meta.

Bruna Rafaella dos Santos

Selecionando talentos, sem discriminar pessoas.

O processo de administração de recursos humanos voltado para a área de seleção de pessoas tem por objetivo a escolha de candidatos entre aqueles recrutados. Segundo Werther e Davis “O processo de seleção é uma série de passos específicos, para decidir que recrutados devem ser contratados”. Qual o desafio do profissional de recursos humanos em perpetuar a igualdade na seleção de pessoas independente de raça, idade, religião ou sexo?
Analisando os processos de seleção e seus conceitos, Chiavenato o considera “A escolha do homem certo para o cargo certo”, dentro deste conceito percebe-se uma visão unilateral e de certa forma preconceituosa sem levar em questão as perspectivas do candidato e da organização. Barros Santos afirma que “Seleção nem sempre significa escolher os que revelam aptidões ou capacidades nos seus índices mais elevados… e, sim, os mais adequados a uma predeterminada situação”. Acredito que a afirmação acima é a que mais pondera sobre os dois pontos de vista: do candidato e do empregador, levando em conta as dores, anseios e sonhos do candidato alinhado às necessidades da organização.
Após análise e reflexão das teorias faço a minha breve conclusão a cerca das melhores práticas nos processos de seleção, tal prática deveria ser feita de forma velada, sem que se pudesse analisar aparência física do candidato, estado civil ou modo de vestir, tal prática evitaria é muito a discriminação nos processos de seleção. Somente desta forma conseguiremos realmente selecionar talentos sem discriminar pessoas.

Carlos Alex Corrêa

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s